Aulas de campo ampliam horizontes…

O que museus, locais históricos e planetários tem em comum? Todos são lugares onde é possível ampliar e complementar o conhecimento transmitido em sala de aula. Pensando nisso, ao longo do primeiro semestre os estudantes do 6º ao 9º ano – INSP Max – participaram de aulas de campo diferenciadas, adequadas a cada série escolar.

Pelas lunetas, os alunos do 6º ano puderam observar as estrelas e planetas no Museu de Astronomia e Ciências Afins. Localizado em São Cristóvão, o espaço é voltado para a multidisciplinaridade, integrando história científica e tecnológica do Brasil com Ciências, Astronomia e Geografia. Assim, sob a temática “As Estações do Ano: A Terra em Movimento”, os educandos visualizaram os movimentos de rotação do planeta por meio de maquetes e vídeos, além de conheceram técnicas usadas pelos marinheiros para descobrir a profundidade do mar. Segundo o educando Eduardo de Mattos, o avanço da tecnologia pode dificultar aos adolescentes e crianças o conhecimento de métodos mais rústicos. “Eu nunca imaginaria que uma corda cheia de nós poderia medir quantos metros de profundidade existe em alguma parte do oceano. Achava que era só apontar para o mar algum equipamento eletrônico para fazer esta medição”, conclui.

O mar também esteve presente na aula de campo do 7º ano. Território de defesa na época de colônia e império brasileiro, a Fortaleza de Santa Cruz foi o local escolhido para que os alunos participassem de uma Aula de Campo de História e Geografia no local que já foi a principal estrutura de defesa do país. Por estar localizada na única passagem de entrada e saída da Baía de Guanabara, sua localização era estratégica para proteger, também, o porto da cidade. Além disso, o local sofreu ataques de esquadras francesas e holandesas até que, em meados do século XIX fora convertido em presídio. Estes e outros fatos são conhecidos pelos estudantes ainda em sala de aula porém, ao chegar e ver de perto o local onde a História aconteceu, o aprendizado é fortalecido.

Já do outro lado da Baía de Guanabara, as atividades da Aula de Campo foram vivenciadas pelos estudantes do 8º ano no Museu do Amanhã. Nele, um dos museus mais visitados do país, os estudantes percorreram os espaços, que são multimídia e interativos, estruturados em cinco grandes momentos – Cosmos, Terra, Antropoceno, Amanhãs e Nós. Em cada espaço, os alunos eram estimulados a refletirem sobre as grandes perguntas que a humanidade sempre se fez – De onde viemos? Quem somos? Onde estamos? Para onde vamos? Como queremos ir? As telas gigantescas com vídeos impactantes das ações do homem na natureza foram destacadas pela estudante Maria Clara Martins, que também relacionou as imagens com a obra contemporânea do tecido flutuando em uma sala escura. “Nos dois casos nós podemos entender a importância dos elementos da natureza. Nas telas como as ações e no tecido como a liberdade e a harmonia”, relata Maria Clara.

E assim como o Museu do Amanhã apresenta a relação do ser humano com o planeta, o Porto Maravilha e o Museu de Arte do Rio – MAR – apresentam a possível boa relação do espaço público com os cidadãos. A constante revitalização de espaços urbanos são fundamentais para o desenvolvimento político, econômico e social de uma cidade. Por isso foram estes os locais escolhidos para a aula de campo do 9º ano. O Porto Maravilha foi reestruturado para que cariocas e turistas usufruam de uma infraestrutura melhor de transportes e de patrimônios históricos, que até então ficavam escondidos sob um viaduto. Durante a caminhada pelo Boulevard Olímpico, os educandos também puderam perceber a influência da arte visual de rua – street art – no local como o painel de etnias do maior grafite do mundo, pintado pelo grafiteiro Eduardo Kobra, mundialmente conhecido por suas obras urbanas repletas de cores e de grandes proporções.

Ao longo do ano, todos os segmentos participam de atividades de campo – fora das salas de aula – nas quais podem visualizar e ampliar seus conhecimentos acerca do conteúdo apresentado em sala de aula. Com isso, o INSP amplia as formas do fazer educacional multidisciplinar, já que as aulas de campo, naturalmente, integram disciplinas e saberes.

Visite você também os museus e locais históricos!

Ficou com vontade de conhecer os locais citados na matéria? Preparamos guia para te ajudar:

  • Museu de Astronomia, Ciências Afins
    Endereço: Rua General Bruce, 586  |  Bairro Imperial de São Cristóvão
    Dias e horários de funcionamento: de terça a sexta-feira das 9h às 17h
    Entrada GRATUITA
    Site: www.mast.br
  • Fortaleza de Santa Cruz da Barra
    Endereço: Estrada General Eurico Gaspar Dutra, s/n, Niterói – RJ
    Dias e horários de funcionamento: todos os dias de 9h às 16h (exceto feriados)
    Ingresso: R$ 10,00 – entre 22 e 59 anos de idade;
    R$ 5,00 – pessoas até 21 anos de idade, estudantes, militares e familiares diretos (que não do Exército);
    Gratuito – até 12 anos e a partir de 60 anos; Militares e seus familiares diretos (do Exército) e pessoas com necessidades especiais.
    Site: http://www.funceb.org.br/
  • Museu do Amanhã
    Endereço: Pier Mauá, 1 – Centro – Rio de Janeiro
    Dias e horários de funcionamento: De terça-feira a domingo, de 10h as 17h.
    Ingresso: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
    Compra pela internet: https://ingressos.museudoamanha.org.br
  • Museu de Arte do Rio – MAR
    Endereço: Praça Mauá, 5, Centro
    Dias e horários de funcionamento: De terça-feira a domingo, de 10h às 17h.
    Ingresso: Inteira R$20,00     Meia R$10,00
    Compra pela internet: http://museudeartedorio.org.br/pt-br/visite/compre-online

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.