Baleia Azul: comunicado às famílias.

Ultimamente, um assunto tem chamado atenção de crianças e adolescentes, além de ter gerado conteúdo em jornais, sites e redes sociais no Brasil e no mundo: o jogo “Blue Whale” (Baleia Azul). Especialistas chamam a atenção para o modo como o jogo pode estimular comportamentos negativos, até mesmo o suicídio, especialmente entre os jovens que mais precisam de cuidados psicológicos.

O INSP, preocupado com a educação e o bem-estar de crianças e adolescentes, vem alertar as famílias e reunir informações para que nossos estudantes possam ter a orientação e o acompanhamento necessários.

“Blue Whale” (Baleia Azul)

O “Baleia Azul” é em um jogo clandestino no qual é dada uma série de instruções que agridem e  fragilizam os adolescentes, além de induzir os participantes a tirarem a própria vida. O jogo nasceu na Rússia e espalhou-se na internet, já há até ocorrências registradas no Brasil. Trata-se de uma quadrilha que alicia crianças e jovens e os leva a atos perigosos, sob o disfarce dos 50 desafios do jogo. Segundo a Polícia Civil do Rio de Janeiro, que está investigando a rede criminosa, os participantes aceitam o convite para o jogo no Facebook, passam seus dados pessoais e de seus familiares, e recebem, posteriormente, as orientações por Whatsapp. Os desafios, que devem ser gravados e enviados aos membros do grupo, vão aumentando gradativamente os riscos. Os afazeres começam fáceis, como “acordar em horários específicos da noite” ou “assistir a filmes de terror” e, na fase final, passam a ser ordens que vão da automutilação ao suicídio. As tarefas chegam durante a madrugada, a fim de não chamarem a atenção dos pais. Ao mostrar sinais de resistência às ordens dadas, o jogador tem a sua família ameaçada.

Algumas recomendações importantes:

  • Informar aos filhos sobre a existência do jogo da Baleia Azul e alerta-los sobre seus perigos.
  • Instruir os filhos a não adicionarem estranhos nas redes sociais.
  • Monitorar o uso de smartphones e redes sociais. Há aplicativos como o Whatsweb que possibilitam acessar as conversas de outro Whatsapp.
  • Restringir o uso da internet em determinados horários: dê limites enquanto ainda é tempo.
  • Estar presente nas redes sociais e acompanhar o que o filho está fazendo.
  • Ficar atento a qualquer mudança radical no comportamento de crianças e adolescentes.
  • Acolher os filhos e conversar sempre que notar neles algum desconforto.
  • Desligar a rede wifi de casa ao ir dormir.
  • Dialogue, converse. Sempre.

Além da baleia…

Algumas séries e filmes, disponíveis gratuitamente aos assinantes do Netflix, giram também em torno da angulação das temáticas depressão, suicídio e adolescentes. Em um deles, uma jovem personagem, após uma série de agressões sofridas pelos colegas no ambiente escolar, comete o suicídio. Antes de tirar a própria vida, ela grava fitas explicando para treze pessoas como elas desempenharam um papel na sua morte.

Profissionais da área de Psicologia têm alertado que esses vídeos, embora possam até estar pautados em valores contra o bullying, não tomam os cuidados adequados para tratar do tema. Há uma ideia romântica do suicídio como alternativa e vingança contra as opressões individuais, além de cenas de estupro e da encenação detalhada do suicídio. Segundo informações do Centro de Valorização da Vida (Telefone 141, site www.cvv.org.br) que fornece apoio emocional e prevenção ao suicídio, os contatos multiplicaram-se nos últimos dias.

Algumas recomendações importantes:

  • Algumas séries e filmes têm classificação indicativa de 18 anos. Menores, se assistirem, somente devem fazê-lo acompanhados dos pais ou responsáveis. Caso seu filho esteja assistindo, é essencial que você o acompanhe.
  • Verifique o cadastro de seu Netflix, você pode criar um usuário KIDS para seus filhos com delimitador de classificação etária.
  • É importante conversar com os jovens e aprofundar as questões abordadas. Quais são as generalizações da série? Que alternativa a protagonista poderia ter escolhido? Como ajudar um colega que sofre agressões na escola?
  • É preciso ressaltar, sempre, que a vida é um dom divino e precioso, e que a depressão é uma doença passível de tratamento e cura.

Pedimos as bênçãos de Nossa Senhora da Piedade sobre nossas famílias. Os tempos mudaram, mas, em essência, o cuidado, o amor e o diálogo são sempre os melhores caminhos para família e escola auxiliarem seus filhos.

“Quando uma pessoa vence as dificuldades, é a fé que a anima; se sofre e persevera, é a esperança que a alenta; se ama e é dedicada, é a caridade que a abrasa e move”.
Monsenhor Domingos Evangelista Pinheiro
Fundador da Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade

Fraternalmente,

Ir. Teresa Cristina Leite
Diretora

 

Baseado em:

2 comentários sobre “Baleia Azul: comunicado às famílias.

  1. WILMA FERNANDES DOS SANTOS

    E verdade as familias estao vivendo uma busca de melhor ou valorizar seus enteresse e esquece que filhos precisa ser ouvido , amado, apanhado pelos pais estamos vivendo dia dificil da politica , financeiro e familiares vamos contar quantas pessoas jantar ou , almoca .
    uniao a Deus ficou destante e sem atencao precisamos ter mais o atencao a Desus
    todo podereso para resolver pobremas. ,

  2. Maria Jose Lima

    Muito bom,esses esclarecimentos,já estamos conversando aqui em casa,minhas filhas já estao casadas,e seus filhos crianças sem acesso a internet,mas,nos preocupamos em dar valores de fé e Deus em nossas vidas,pois só Ele é quem nos proteje de todo mal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.