Brasilidade encanta na Mostra Cultural do INSP

Uma diversidade de cores, sabores, aromas texturas, sons e toda a criatividade da eclética cultura brasileira se espalhou pelo Coliseum, traduzindo as experiências que os estudantes do 6º ano ao Ensino Médio trouxeram para a Mostra Cultural de 2018, no sábado, 29.

O tema Brasilidade foi explorado sob vários aspectos. Algumas turmas falaram sobre personalidades que fizeram história no Brasil em diversas áreas como Aleijadinho, Luiz Gonzaga, Sebastião Salgado, Maurício de Souza, Santos Dumont, Vital Brasil, Oswaldo Cruz, Marcos Pontes e Romero Brito. Entretanto, nem só as celebridades foram lembradas, e a turma 71, trouxe para a mostra os Protagonistas do Cotidiano, homenageando os trabalhadores que fazem o dia a dia acontecer.  A estudante Amanda de Almeida aproveitou a ocasião para dividir sua experiência em uma tribo indígena durante sua viagem de féria à Amazônia e fazia bijuterias com artefatos nativos para distribuir ao público.

“Foram as melhores férias da minha vida, aprendi muito e por isso quis trazer para compartilhar com meus colegas, professores e o público”, contou ela.

 

Movimentos culturais e populares também foram lindamente apresentados com riqueza de detalhes. O encanto nordestino esteve representado por instrumentos e comidas típicos, literatura de cordel, xilogravura, artesanato e uma bela apresentação de forró. Assim como Barroco, o Modernismo e o Círio de Nazaré, com suas cores vibrantes e a mítica que envolve o sumiço e aparição da imagem da Virgem às margens do Igarapé.

“Esse ano foi muito especial, adorei trabalhar o Círio porque nossa professora de geografia, Carla Albuquerque, é de Belém e compartilhou com a gente seu conhecimento nativo. Foi demais”, conta empolgada a estudante da Turma 83 Rafaella Borges.

O Ensino Médio todo se dedicou ao empreendedorismo aliado à responsabilidade social. Artesãos pela Transformação reverteram parte da renda para a causa animal, Refúgio Gourmet, homenageou os refugiados, e Fruternidade sucos naturais doou para o projeto Incare, que capacita refugiados. A Graphite Arte de Vestir e a Açaí da Paz passaram mensagens de otimismo e antiviolência. A Economia Solidária apresentou a culinária africana. Finalmente, na Esperança Colhe Bons Frutos, podia-se comprar picolés e ajudar a causa das crianças com câncer.

A presença das famílias foi tão marcante que em determinados momentos podia-se ver os corredores totalmente tomados.

“Esse projeto é muito interessante. Acredito que agrega muito porque os alunos se envolvem com os temas, aprendem fazendo e fazendo em grupo”, comentou a mãe  da aluna Ana Clara, da turma 83, Cristiane Magalhães. “É uma ótima oportunidade de convivermos com a comunidade escolar”, complementou seu marido, Marcelo Magalhães.

Na quadra, um espetáculo de música e performances teatrais completava a festa, expondo os talentos artísticos dos estudantes que apresentaram também a típica dança de Belém do Pará, o Carimbó.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.