INSP e Ministério da Educação na campanha Zika Zero

Não é de hoje que o INSP está atento às ações inibidoras de possíveis focos de reprodução de mosquitos. A campanha contra dengue, há alguns anos, já faz parte do dia a dia de funcionários e professores que com ações concretas e pedagógicas criam e mantem o hábito do cuidado com os espaços do Colégio.

MOSQUITO2Diante do aumento no número de casos de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, o Instituto Nossa Senhora da Piedade está mobilizando estudantes, pais, professores e funcionários sua comunidades educativas a participar ativamente da Campanha Nacional “Zika Zero”.

Em fevereiro, instituições de ensino do Brasil inteiro receberam do ministro da Educação, Aloizio Mercadante, mensagens para serem repassadas aos estudantes e seus responsáveis, educadores e funcionários. Na sexta-feira, 19/02, as cartas do ministro foram lidas aos estudantes e disponibilizadas a professores e funcionários. Nelas, Aloizio indica que os dias 19 e 26 de fevereiro e 04 de março serão de grande mobilização e participação das instituições de ensino em ações para a conscientização acerca do combate à proliferação do mosquito. “Teremos um grande movimento, em todo Brasil. Nessas datas, as escolas, além de discutirem internamente os temas, estarão mobilizadas no combate ao mosquito em suas comunidades”, afirma o ministro.

Professores e coordenadores leram a carta enviada pelo ministro e elaboraram um plano de comunicação aos estudantes e famílias.

Professores e coordenadores leram a carta enviada pelo ministro e elaboraram um plano de comunicação aos estudantes e famílias.

O documento ainda explica que, por haver cerca de 70 milhões de brasileiros organizados em salas de aula, se entende que a escola deve ser um centro de mobilização e de conscientização da comunidade, seja ela interna e ou externa, para o combate à proliferação do mosquito transmissor da Dengue, da Febre Chikungunya e do Vírus Zika.

 

Clique aqui e acompanhe a campanha nacional.


Clique aqui e leia aqui a carta do ministro…


 

Conhecendo o inimigo:

Aedes aegypti:
O mosquito Aedes aegypti é pequeno, mas pode causar grandes danos à saúde. Ele mede menos de um centímetro, tem aparência inofensiva, de cor café ou preta, com listras brancas no corpo e nas pernas. Costuma picar nas primeiras horas da manhã e nas últimas da tarde, podendo atacar à noite. Por isso, é necessário estar atento em todos os momentos. O indivíduo não  percebe a picada, pois não dói e nem coça no momento. Por ser um mosquito que voa baixo – até dois metros –  é comum ele picar nos joelhos, panturrilhas e pés.

A proliferação do mosquito ocorre do seguinte modo: a fêmea do mosquito deposita seus ovos em recipientes com água. Ao saírem dos ovos, as larvas vivem na água por cerca de uma semana. Após esse período, transformam-se em mosquitos adultos, prontos para picar as pessoas. O Aedes aegypti procria com grande rapidez e o mosquito adulto vive em média 45 dias.

As doenças transmitidas:
É o transmissor da Dengue, da Febre Chikungunya e do Vírus Zika, uma ocorrência nova no Brasil, que pode afetar as mulheres gestantes e causar danos sérios e profundos no desenvolvimento de seus bebês, como a Microcefalia.

A Microcefalia é uma malformação congênita, em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Nesse caso, os bebês nascem com perímetro cefálico menor que o normal, o que prejudica o seu desenvolvimento. Por isso mulheres grávidas devem ter atenção especial e acompanhamento em consultas pré-natais.

O Vírus Zika:


  • Contágio
    O Zika não é transmitido de pessoa para pessoa. Porém, após um mosquito Aedes aegypti picar alguém contaminado, pode transportar o vírus, transmitindo-o para outra pessoa, numa próxima picada. Uma vez que o indivíduo é picado, os sintomas, em geral, são sentidos em um período de 3 a 12 dias.
  • Sintomas
    Os principais incômodos são febre baixa, coceira e comichão na pele, além de manchas avermelhadas. Porém a doença pode ser assintomática.
  • O que fazer ao perceber os sintomas?
    Procurar, rapidamente, o serviço de saúde mais próximo para receber orientações médicas.

Como denunciar os focos do mosquito?
Quando o foco do mosquito é detectado e não pode ser eliminado pelos moradores de um determinado local, a Secretaria Municipal de Saúde deve ser acionada.

Como combater o mosquito Aedes Aegypti em casa?

  • Elimine recipientes que possam acumular água;
  • POST_MOSQUITO_640Verifique se deixou baldes ou pratinhos na varanda por esquecimento;
  • Certifique-se que a caixa d’água está vedada;
  • Procure deixar calhas e pneus totalmente limpos;
  • Coloque baldes e garrafas vazias com as bocas viradas para baixo
  • Mantenha a manutenção em dia de piscinas e áreas de hidromassagem;
  • Limpe canaletas externas e ralos;
  • Atente-se ao possível acúmulo de água em plantas como babosa e bromélia;
  • Portas e janelas devem permanecer fechadas ou teladas;
  • Dedique ao menos 15 minutos por semana para realizar a vistoria na área interna e externa da casa e, assim exterminar os possíveis focos do mosquito Aedes aegypti.
Divulgue essas informações para a sua família, os seus colegas e a comunidade do seu bairro. O país conta com a sua ajuda no combate ao mosquito e a todas as suas consequências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.

Fale conosco.
Fale com a gente!
Olá, em que posso lhe ajudar?